Diva mas sem Frescura

5 filmes para apaixonados por cachorros

É difícil encontrar alguma alma que não goste de cachorros. né? Pensando nisso, reuni 5 filmes cuja trama gira em torno do melhor amigo do homem. Infelizmente nem todos estão disponíveis na Netflix, mas todos são fáceis de encontrar por aí e costumam passar na TV.
 

Truman – Cesc Gay

Embora o cachorro dê nome ao filme, o foco da trama é seu dono, um doente terminal com câncer em busca de resolver pendências e se despedir desse mundo. Uma das pendências a ser resolvida é arrumar um novo dono para Truman, sendo bastante bonita e convincente o afeto e empenho envolvidos na difícil tarefa de encontrar um bom tutor para o cão. Dessa seleção, SEM DÚVIDA é o filme que mais gosto.
 
Marley e Eu (Marley & Me) – David Frankel

Provavelmente você pelo menos já ouviu falar nesse filme baseado no livro de crônicas homônimo, que retrata a vida em família do casal John e Jenny Grogan (Owen Wilson e Jennifer Aniston) e a família que se iniciou quando eles levaram Marley para casa, um labrador um pouco diferente da maioria dos cães da raça: extremamente agitado, desengonçado e difícil de adestrar. A película conta a trajetória da família, com destaque para as situações inusitadas proporcionadas pelo cachorro. É um filme bem gracinha.
 
Lembranças de outra vida (Fluke) – Carlo Carlei

Esse filme é um clássico da sessão da tarde e passava muito na minha infância (quase tanto quanto A Lagoa Azul. hahahaha). Conta a história de um Pai que morre e reencarna em um cachorro. Como ele se lembra de quem era na vida passada, ele volta para aquela que foi sua família na vida anterior a fim de protegê-los do homem que causou o acidente de sua morte. Não assisti novamente ao filme na vida adulta para atestar a qualidade, mas lembro que na época eu adorava.

 
Sempre ao seu lado (Hachi: A Dog’s Tale) – Lasse Hallström

Esse também é bem famoso e conta a história de amizade entre Hashi e Parker Wilson (Richard Gere). Parker é um professor universitário que certo dia encontra um filhote na estação de trem ao voltar do trabalho e resolve levá-lo para casa, mesmo ciente que sua esposa será contra. Com o tempo o cão é aceito na casa, cresce e passa a acompanhar Parker até a estação de trem, retornando ao local no horário em que costumeiramente o professor estava de volta. A história é baseada em fatos reais.
 
4 vidas de um cachorro (A Dog’s Purpose) – Lasse Hallström

Eu particularmente não gostei desse filme, mas tenho amigas que amaram, então acho que vale a pena indicar. Conta a história de amizade entre Ethan e o seu cão da adolescência. Após a morte do cão, ele reencarna em diferentes raças e situações, como por exemplo em um cão de polícia e como cão de uma família problemática. Em sua 4ª vida, quando seu primeiro dono já está idoso, ele o reencontra e tenta mostrá-lo que era ELE o seu cão da adolescência.
 
E aí minha gente, lembram de mais algum filme legal protagonizado por um serzinho de 4 patas?

ESCRITO POR

Daniele Fabre

DEIXE UM COMENTÁRIO

0

5 dicas essenciais pra quem quer adotar um cachorro

adocao

Eu sou 100% do time das adoções de animais. Claro que nem sempre fui assim. Quando criança e adolescente a gente vê aquele mar de cachorro bonito e não problematiza uma indústria que vende ser vivo como se fosse mais um bem material pra compor um status específico, comparado a uma bolsa ou um sapato. E o pior: este ser vivo torna-se descartável. Os números de animais abandonados porque o dono “enjoou”, quis trocar por outro, viajou e não tinha com quem deixar, teve filho e se desfez do bicho, se mudou e não tinha espaço, etc. são surreais e muito tristes. Hoje em dia, nunca se falou tanto de adoção de animais e nunca se combateu tanto a compra e venda de seres vivos, o que é uma beleza! Aqui onde moro, toda vez que vou passear com minha Lili, encontro alguém que adotou um cãozinho. Quando a levo pra correr no parque aos domingos, ela, uma vira-lata linda e sapeca, brinca com outros tantos vira-latas e cães de raça, na maior amizade. É uma delícia ver que pra cada cão de raça, tem um adotado. Ou, pessoas que tem os dois: um comprado anteriormente e outro adotado depois da conscientização. Certamente isso é uma vitória e uma felicidade. Porém, por mais que eu faça campanha pela adoção, sou bem cautelosa na hora de conversar com alguém sobre esse assunto. Porque não tem nada mais frustrante que um cão ser adotado e devolvido em seguida. É traumatizante pro animal que já é traumatizado e muito complicado para quem geriu a adoção, que se vê diante de uma situação péssima, tendo que arcar novamente com uma despesa severa e tendo que achar um abrigo para recolocar o cão ou o gato (e acredite, isto não é NADA fácil).

 

Por isso, acho importante falar sobre a parte “difícil” da adoção para que ela seja feita com total consciência da responsabilidade que vem junto com esse ato de amor.

adocao 2

 

1) Alteração na rotina da casa

 

Não pense que você irá adotar um cachorro e sua rotina vai continuar igual. Você terá novas responsabilidades, horários a cumprir, terá que dar atenção ao bichinho e tudo isso com muita paciência, pois se você está se adaptando a ele, ele também está se adaptando a você. Avalie muito bem como é a rotina da casa em que mora (quantas pessoas vivem, quem fará o que em relação a alimentação e higiene do animal, se tem alguém alérgico, se todos se relacionam bem com cachorro, se todos estão de acordo com o novo membro, etc). Assim, você evita surpresas desagradáveis, desgastes e um desfecho frustrante.

 

 

2) Cada caso é um caso

 

“Ah minha amiga adotou e o cachorro dela é super tranquilo”. Amiga, cada caso é um caso, viu? Cada cachorro tem um temperamento diferente. Cada idade requer cuidados especiais e cada história por trás daquele animal também. Se você adota um filhote, por exemplo, tem que saber que filhotes são danados e você provavelmente vai suar a camisa pra ensinar tudo pra ele. Se você adota um cachorro cujo temperamento seja de uma determinada característica, vai ter que lidar com isso da melhor forma possível e estar preparada pra longa jornada de readaptação. Se você adota um cachorro com um tipo de trauma, a mesma coisa: vai ter que aprender a lidar com esse trauma até que ambas as partes passem a se entender. Se você adota um cachorro com cuidados especiais, deve estar consciente de tudo que precisará fazer para ele. Se você adota um cão idoso, as necessidades são outras e assim por diante.

 

 

3) Cães de adoção são bem diferentes de cães de compra e venda

 

Cães de adoção são sempre diferentes. Geralmente, eles vêm de uma condição muito ruim. Sofrem traumas, não são ensinados, passam fome e sede, não sabem o que é carinho. Tirando casos de adoção de cachorros muito filhotes, os cachorros (geralmente a partir dos 6 meses) disponíveis para adoção têm todo um jeito de lidar com o mundo novo no qual eles se deparam após a adoção. Medos acentuados de coisas específicas (humanos, barulho, objetos, outros cachorros…) são bem comuns e toda a paciência do planeta é necessária até que esse trauma seja abafado por completo ou, ao menos, controlado. Como muitos deles não têm acesso a comida nem água, no início eles voam em cima da comida e bebem água o quanto tiver disponível, pois o extinto manda. Eles pensam “não sei quando vai ter de novo”. Até eles entenderem que não precisa disso demora um tempo. O ideal é controlar essa comida e a água no início, porque se deixar, o cachorro vai comer 15 kilos de ração e beber 50 litros de água! Eles também tendem a ser beeeeeem carentes. Imagina: nunca tiveram um lar de verdade! Dai qualquer possibilidade de ganhar um carinho vira festa. De novo: paciência é essencial pra lidar com isso. Compre bastante brinquedinho pro cãozinho se distrair com outras coisas além de você. Além destas características citadas, existem outras particularidades em cada história por trás de cada animal resgatado e disponível pra adoção, mas a chave é a mesma: paciência e amor.

 

 

4) Pergunta tudo e mais um pouco 

 

Tirando os casos que você mesma resgata e cuida do animal, pergunte TUDO na feira de adoção para a pessoa responsável: temperamento, idade, se está doente, se já esteve doente, carteira de vacinação, se é castrado, como foi resgatado, o que sofreu até chegar ali, qual previsão de tamanho do cachorro, se é agressivo, se é manso, se convive bem com outros cachorros e animais, se convive bem com crianças, tudo. Por mais que tenha lacunas nestas respostas, elas nos dão um horizonte maior sobre o bichinho. Por exemplo: se você tem gato em casa, não pode levar um cachorro que não convive bem com gatos. Se você tem um bebê em casa, não pode levar um cachorro que não goste de criança. Se você tem um pequeno apartamento e não quer um cachorro muito grande, não adianta levar um animal que tem previsão de ficar com porte de Golden Retriever.

 

 

5) A principal motivação da adoção é o amor

 

Não tem muito o que dizer depois dessa frase mas é isso mesmo. Não se pode adotar um animal buscando algo diferente de amor. Ele vai alterar sua rotina, pode ser que seja difícil pra caramba a adaptação de ambos, pode ser que você fique muito cansada até se adaptar ao novo membro da casa, pode ser que role uns conflitos iniciais entre os humanos que ali habitam, pode ser que você adote um cão com cara de gatinho do Sherek e depois de um tempo ele se transforme no Marley de Marley & eu… mas ele é uma vidinha que precisa de cuidado! Por isso, estude muito todas as possibilidades e analise com calma se você está preparada pra lidar com essas mudanças. Mas eu garanto: não tem sensação melhor do que receber esse amor em troca. É muito louco, mas animais de adoção te olham de um jeito muito doido… eles são gratos! Eles vêem em nós a referência de amor e cuidado que não tiveram durante a vida. Minha Lili é uma demônia da Tazmânia, mas eu não troco por nada! É alegria da casa! No momento, tô aqui sem ela porque ela foi ficar de ontem pra hoje na casa da minha sogra, porque lá tem outras duas cachorrinhas e essa convivência é ótima. E a falta da bagunça que ela faz deixa maior vazio… adoção é amor!

 

adocao 3

 

 

ESCRITO POR

Olga Bon

DEIXE UM COMENTÁRIO

0

Adote um amigo!

todo cachorro merece um lar feliz

 

 

Confesso que foi difícil começar a fazer esse post porque antes de escrever, eu pesquiso fotos, e o assunto que vou falar hoje tem simplesmente as melhores imagens da internet, além do fato de eu estar chorando porque me emociono com certas coisas da vida.

 

Dog face

oinnn tadinha de mim

 

Sempre amei animais e sou apaixonada por cães e gatos. Por muito tempo quis ter um pug, mas todo mundo que gosta de cachorro sabe que é um animal extremamente caro e que muitas vezes tem problemas de saúde. No início, eu não achava nada demais comprar um cachorro e escolher uma raça bem lindona, confesso. Mas depois de um tempo a gente acaba mudando de postura conforme se depara com certas realidades na vida.

 

então você só queria um pug?

então você só queria um pug?

 

Como não tinha dinheiro pra comprar um pug, resolvi adotar um cachorrinho, e fui a algumas feiras de adoção pelo RJ. Uma delas foi a adotar é tudo de bom, mas não foi ali que adotei a coisa mais ninda da minha vida. Encontrei alguns dados na internet que afirmam que existem em média 25 milhões de cães abandonados no Brasil, e isso me chocou. Tanta gente gastando R$ 3 mil reais em cachorro de raça, pessoas lucrando com a reprodução de cachorrinhos, enquanto outros MILHÕES estão pelas ruas só esperando pra serem amados.

 

sério que você só quer um cachorro se ele for de raça?

sério que você só quer um cachorro se ele for de raça?

 

A verdade é que quem gosta de animais vai gostar do Golden retriever e IGUALMENTE do vira-lata. E ambos vão ser companheiros e amigos do seu dono. Se você gosta de animais, se você realmente se importa com os dogs que estão na rua, faça a diferença e adote um!

Eu adotei a Mel, essa coisa linda, envergonhada e extremamente carinhosa:

 

 

Primeira vez que peguei ela no colo, ganhei esse abraço

Primeira vez que peguei ela no colo, ganhei esse abraço

 

 

gostei desse batom aí, mãe

gostei desse batom aí, mãe

 

 

po mãe fala sério me solta aí namoralzinha

po mãe fala sério me solta aí namoralzinha

 

Como cuidar de cachorro é muita responsabilidade, reflita bem antes de adotar:

– Se sua casa tem espaço (não necessariamente precisa de um quintal ou ar livre, mas também não vá enfiar o bicho numa quitinete, por favor)

– Se as pessoas que moram com você gostam de animais e estão dispostas a tratar bem e cuidar na sua ausência

– Se você terá paciência de limpar cocô QUANTAS VEZES FOREM NECESSÁRIAS e virar melhor amigo do desinfetante

– Se você vai ter tempo de passear com seu bichinho pelo menos uma vez por dia

– Se você tem dinheiro para ração

– Se  você tem dinheiro ou terá algum auxílio caso o animal fique doente (veterinários podem ser mais caros do que médicos e os remédios para cachorro não são os mesmos do que remédios para humanos, são muito mais caros inclusive)

– Se você tem disposição para dar banho ou levar ao pet shop

 

Se depois de analisar isso tudo você concluir 100% de SIM, ADOTE! eeeeeeeeeeeeeeeee õ/

 

E não só cachorros, mas também gatinhos, gente. Acredita que eles sofrem muito preconceito? Não pude adotar um gato porque minha mãe não gosta, e fiquei muito triste com isso.

 

TEM GENTE Q NÃO GOSTA DE GATO? MASOQ

TEM GENTE Q NÃO GOSTA DE GATO? MASOQ

 

Gatos são carinhosos SIM, só não são tão dependentes do dono quanto um cachorro (emocionalmente falando). Mas são animais fofos e não são indiferentes e muito menos agressivos como as pessoas falam por aí. Ah, e não posso deixar de dizer que é um ABSURDO quem espalha/acredita nessa história de que gato preto dá azar. 2015. Pelo amor de Deus, né?

 

me adota por favorzinho

me adota por favorzinho

 

Já tive uma gatinha por muito pouco tempo (minha mãe me obrigou a devolver), e ela era super carinhosa e juro por Deus, tão carente quanto um cachorro. Como ela ficava muito tempo sozinha em casa e sem carinho e era ainda uma filhote, tive que devolver para ela não ficar ainda mais triste (ela chorava o dia todo).

 

você mudou de ideia, néééé?

você mudou de ideia, néééé?

 

Então é isso, gente. Se você quer adotar um bichinho ou mais informações, busque feiras de adoção, campanhasSUIPA ou grupos no facebook!

 

E preciso colocar mais duas imagens que não consegui encaixar no post, mas são muito lindas:

 

 

 

HM LISTENING

HM, to te ouvindo, humano

 

Por hoje é isso, gente!

adotar

ESCRITO POR

Luma Mattos

DEIXE UM COMENTÁRIO

0