Diva mas sem Frescura

Toda sexta era a mesma coisa: tínhamos aula de francês e sabe quem era nossa professora? Jey! Tava escrito, né? O tom de formalidade entre as três recém-conhecidas durou poucos minutos. Só que foi assim: por ambas estudarem letras na UFF, Luma e Jey mostraram afinidade rápida e laçaram uma amizade de cara. Olga chegou depois de algumas caminhadas juntas no pós-aula. Eis que em uma sexta a tarde, papo vai, papo vem, surgiu um desejo compartilhado. “Tinha que ter um blog que falasse com todo mundo”. “É, com certeza, sinto falta disso”. “Algum blog que tivesse alguém de cabelo black, alguém de cabelo alisado, uma loirinha”... as três se olharam e PÁ! Tava tudo ali! Cada uma tinha um estilo, um jeito, um cabelo, suas dificuldades, suas dicas, suas vontades de compartilhar. E assim a sementinha do Diva Sem Frescura estava plantada. De lá até aqui o caminho foi longo e muitas arestas foram aparadas até chegarmos onde estamos hoje: com o blog prontinho pra você. Mulheres reais falando para mulheres reais. Aqui, tem espaço para tudo e todas, e procuramos compartilhar de tudo um pouco: dicas, receitas caseiras, achados, problemas, chateações da vida, defeitos, inseguranças, assuntos relacionados a moda, maquiagem, cabelo... tem tanto assunto pra gente conversar! Todo mundo pode ser diva, a seu jeito, no seu estilo. E o melhor é ser diva sem frescura, sendo você mesma! Vem com a gente! ;)

ESCRITO POR

Olga Bon

Jenny Santos

Luma Mattos

Olga Bon

Jennifer, Jenny, Jey Jey. Orgulho da cor, do black e de toda minha história. Nascida no Mato Grosso do Sul, quis o destino que eu viesse para Niterói e conhecesse as amigas que dividiriam o mesmo desejo: fazer esse blog. Tenho 24 anos e sou professora desde 2011 (amo!) e estou quase terminando meu curso de letras português/francês na UFF. Descobri que também adoro ensinar português para estrangeiros, principalmente para crianças. Livros de mistérios e investigação são meus favoritos! Sou daquelas que abre um Agatha Christie enquanto o CSI vai pro intervalo. E no cinema, gosto de coisa que faz pouco sentido mesmo, daquelas que fazem você ficar tentando entender o filme por uma semana ou que tem vários significados, cabe a você encontrar o seu. Amo falar francês, dançar, fazer crossfit de vez em quando, mas minha maior paixão mesmo é o pole dance. Depois de muito trabalhar meu interior, sou uma pessoa bem mais paciente do que já fui e também aprendi a praticar o ‘deboismo’ – praticar de verdade. Amo gente, estar com pessoas e rir muito. Tai o que eu gostaria de fazer todos os dias.

Se eu fosse um substantivo, provavelmente me chamaria Determinação. No 7º período de Farmácia resolvi mudar para Letras/Inglês para fazer o que realmente amo: lecionar. Moradora de Niterói, 25 aninhos, amo ler e me expressar através da escrita. Personalidade forte, mas muito forte MESMO (vulgo chata), sou comunicativa e acessível, mas é difícil aguentar, porque não tenho papas na língua. Maior qualidade: sinceridade. Maior defeito: sinceridade. Amo bebês e animaizinhos, principalmente filhotes. Sou alucinada por música, verdadeiramente eclética, vou de louvor gospel a System of a Down. Professora de inglês, aluna de francês e aspirante a aprendiz de espanhol, amo aprender línguas e sonho em ser poliglota logo. Vou casar com o amor da minha vida em 2016 e trabalho feito louca pra pagar as trocentas contas que tenho por isso. Não acredito muito em signos, mas dizem que virginianos são metódicos e perfeccionistas: qualquer semelhança é mera coincidência. Amo resolver problemas alheios e observar o comportamento humano. Se quiser uma miga loca, pode falar comigo.

Aos 26 anos, essa carioca moradora de Niterói (que vai se mudar pro Rio já já por motivos de “casório chegando”) finalizou seu mestrado em Comunicação Social em 2015 e acabou de entrar para o doutorado. Formada em Produção Cultural, Olga também já estudou design de moda e coordenação de estilo e é a nossa personal stylist. Já trabalhou/trabalha em diversas áreas que estimulam mais ainda sua criatividade (figurinista, produtora, assessora de imprensa etc etc) e adora escrever. Está na fase “não vou comprar esse sapato porque tenho que ir na Leroy Merlim”, é completamente doida por animais (cachorro, gato, elefante, lhama, qualquer um) e troca facilmente uma saída para ficar em casa (ah não ser que seja uma saída para comer). Taurina e comida combinam, não é mesmo? Ela se liga nos rock da vida e seus looks são majoritariamente trabalhados no pretinho básico. Quer conversar? Pode falar sobre Beatles ou sobre algum assunto da cultura pop, desses bem trash mesmo. Tem jeito de mau humorada, mas é a pessoa mais engraçada do universo. Dizem.