Diva mas sem Frescura

“Que negra bonita”

Aviso de conteúdo: post com alto teor de ironia e argumentos ad absurdum, levados ao exagero. Se você não tem estômago, não leia.

 

1. “Nem se pode dar opinião agora. Você tem que aceitar opiniões diferentes das suas”.
Não tenho não, darling. Se você é palmeirense e achar que o Corinthians é pior, tudo bem, posso aceitar isso. Você preferir carne cozida com batata em vez de com cenoura, também posso. Agora, querer dizer que beleza é questão de opinião, não, fofo, não mesmo. Você querer dizer que é “normal” mulheres negras serem consideradas feias, não. Cansei de ouvir: “nossa, você é uma negra bonita” (com ar de surpresa) ou “você é a negra mais bonita que conheço”. Porque claro, negras são feias por natureza e eu ser bonita é um fenômeno que só acontece em anos bissextos. E engraçado: ninguém diz que uma mulher branca é uma branca bonita, diz apenas que ela é bonita. A mulher negra só pode ser bonita entre as negras porque isso é a passagem de um cometa e, também, porque hierarquizam nossa beleza colocando-a como inferior. Por que eu não posso ser uma mulher bonita? Vou sair por aí agora falando: “nossa, que branca bonita você é!”; “uau, que branca do cabelo loiro bonita!” Mulheres negras são mulheres bonitas, pessoas bonitas. Tem aquela também: “você dá de dez a zero em muita branca por aí”. Nossa, que elogio! Sabe como é, mulheres negras são feias naturalmente e, as brancas, bonitas naturalmente. Só que, quando cai uma chuva de meteoros, uma negra surge de um planeta distante e consegue o feito inédito de ser mais bonita do que algumas brancas. Uma dezena, mas olhem o feito! Certa vez, na faculdade, um ser disse que eu era linda, inteligente e que só faltava ser loira para ser um arraso. Pobre de mim, vá nascer de novo, garota!

 

 

 

2. “Ah, mas esse negócio de beleza é pessoal, eu tenho o direito de achar a Lupita feia”.
Então, pela milésima vez, gostos são construções, ou seja, nós somos ensinados a achar o que é belo e o que não é, nossos olhares foram e são condicionados para isso. Há um padrão imposto do que é considerado belo, uma norma, e tudo aquilo que não se encaixa nessa norma, é visto como feio, desviante. Abra uma revista de moda. Quantas mulheres negras há? Quantas gordas? O racismo tem um papel preponderante na construção desses padrões, a beleza negra é estereotipada, estigmatizada. Eu, quando criança, fui super zoada na escola, e adivinhe, por que? Por ser negra, ter o cabelo crespo. Na festa junina nenhum menino queria dançar comigo, e diziam isso na minha cara, eu sempre encabeçava a lista da mais feias. Por que raios aquelas crianças me achavam feia? Eu era uma menina linda, inteligente, divertida. Ah, eles me xingavam e não dançavam comigo, porque claro, crianças de 7 anos tem gostos pessoais bem desenvolvidos. Eu feia? Fala sério, olha pra mim!

 

 

 

3. “Não gostar de se relacionar com mulheres negras não tem nada a ver com racismo, ninguém manda no amor”
Ninguém manda no amor, só não entendi até agora porque essa espontaneidade do amor que brota assim, do nada, nunca brota em direção das mulheres negras. Ninguém manda no amor, mas o amor nunca escolhe as negras. Engraçado. Segundo pesquisa do IBGE, mulheres negras são as que menos casam, são a maioria de mães solteiras. Inclusive há trabalhos acadêmicos muito bons que falam sobre a solidão afetiva da mulher negra. Se o racismo tem um papel preponderante na construção dos padrões de beleza, consequentemente, terá na construção do desejo. Desejam alguém que se julga bonito, atraente. de novo: olhem as revistas. Liguem a TV, quantas mulheres negras há e dessas que há, quantas não estão sendo estereotipadas? Qual é a mulher que é colocada como a ideal? Quantas de nós já fomos preteridas pelo simples fato de sermos negras? O cara te tratar como última opção, não apresentar para a família ou estar afim de você, até que na cabeça dele, apareça alguém melhor, leia-se, branca. Pode ser a mais sem graça possível, mas branca. A mulher negra pode ser linda e estonteante, mas sabe como é, amor não tem cor. Mulheres negras que passaram por isso, ponham o dedo aqui que a casinha vai fechar…Como falar em gosto pessoal quando a esmagadora maioria pretere mulheres negras? Como falar em escolha do indivíduo quando essas escolhas não nos escolhem? Desculpem o trocadilho.

 

 

 

4. “Ai, mas vocês vêem racismo em tudo. Tudo agora é mimimi racismo”.
Então, gato, a gente vê racismo em tudo, porque adivinhe? O racismo é um elemento estruturante dessa sociedade. Foram mais de 300 anos de escravidão, medidas institucionais tomadas para impedir a mobilidade social da população negra, violências variadas, e você diz que AGORA tudo é racismo. Em qual tempo histórico você nasceu? Tem certeza que é deste planeta? Porque né, a gente fala em racismo porque é gostoso, não tem mais nada pra fazer na vida. Eu também não gostaria de ter que falar, mas sabe como é, a sociedade não me dá outra opção. Agora (usando corretamente), pegue sua nave espacial e volte para o planeta do qual você veio hoje. Porque se estivesse chegado ontem e dado uma olhada bem rápida, já teria percebido o racismo latente desta sociedade.

 

 

E, por fim, aceite sua insignificância perante o mundo. Aceite que sua opinião não quer dizer nada, ou melhor, ninguém está interessada nela. Depois dessa brecha concedida, vou lá passar o meu Lancôme. Sabe como é, preciso descansar minha beleza e aguardar a próxima chuva de meteoros.

 

 

Por Djamila Ribeiro

 

Djamila Ribeiro é blogueira do Escritório FeministaÉ também pesquisadora, mestranda em filosofia na Unifesp, onde foi responsável pela criação do Núcleo Interdisciplinar de Estudos de Gênero, Raça e Sexualidades.Além disso, é autora do Blogueiras Negras.

ESCRITO POR

Convidada especial

DEIXE UM COMENTÁRIO

0

5 coisas sobre nós

No vídeo de hoje a gente fala rapidinho 5 coisas sobre cada uma de nós, pra gente poder se conhecer melhor. Vem ver!

 

 

 

Não esqueçam de clicar em gostei e se inscrever no canal 🙂

 

 

ESCRITO POR

Divas

DEIXE UM COMENTÁRIO

0

À magreza inatingível, dizemos não

magra

 

Bom, estava eu vendo o tal último desfile da Gisele para Colcci, quando me deparo com uma modelo excessivamente magra. Comentei com a minha mãe na hora e nós duas ficamos chocadas:

 

colcci-spfw

 

E ela falou: como deixam uma modelo dessas passar no teste? E eu respondi: não sei… mas na maioria deles, ainda pedem para as modelos, já magrinhas, perderem “uns 2 ou 3 kilinhos”. Isso quando não falam “tá gorda fia, dá não”. Pergunte para qualquer modelo de passarela. Ela vai te confirmar isso. Foda. Triste. Revoltante. E a pergunta que fica é: por quê? Por que a Fulana Magreza da Silva tem que perder 2 kilos e ficar com aparência de doente pra trabalhar?

 

Os padrões estéticos mudam? Siiiiiiim. Podemos considerar meio que compreensível quando, lá nos anos 90, as supermodels começaram a aparecer e bombar, com aquela aparência conhecida como “heroin chic”? Acho que sim. Mas atualmente? Com a anorexia sendo um problema mundial? Com meninas se matando para entrar em um padrão ridículo de peso e corpo? Com mulheres sendo ridicularizadas por terem uma bunda grande e dobrinhas na barriga? Atitudes que corroboram com o uso de modelos esqueléticas em campanhas e desfiles significam um risco na construção da autoimagem feminina, principalmente de crianças e adolescentes, que passam a se habituar com hábitos alimentares errados e altamente privativos.

 

Luma veio falar sobre um projeto na França que visava proibir modelos muito magras e que isso poderia virar assunto pra gente conversar com vocês. Lembrando do que eu tinha visto no desfile da Colcci, quis escrever esse texto, e fiquei martelando exatamente o que disse acima: como a Colcci deixou passar uma modelo TÃO magra nos dias de hoje? Até quando?

 

body

 

Esse projeto na França, que a Luma comentou, já passou por várias instâncias e na última sexta-feira, dia 03 de abril, a Assembleia Nacional do país aprovou, finalmente, um texto que proíbe empregar modelos extremamente magras, como uma medida para lutar contra a anorexia, e que faz parte de um projeto de lei sobre a saúde.”O exercício de uma atividade de modelo está proibido a qualquer pessoa cujo índice de massa corporal for inferior a níveis definidos pelas autoridades de saúde francesas”, afirma o texto. Esta é uma emenda apresentada pelo deputado socialista Oliver Véran e apoiada pela ministra da Saúde, Marisol Touraine, que considerou “preocupante” a questão das modelos excessivamente magras. Segundo o texto, qualquer pessoa que administre uma agência de modelos ou que contrate modelos deve “cuidar pelo respeito da proibição”, sob pena de seis meses de prisão e 75.000 euros de multa. O deputado estima que, somente na França, haja entre 30 a 40 mil pessoas com anorexia mental. E que, na maioria dos casos (90%), são adolescentes. Ou seja, o impacto social que as imagens de moda possuem é, realmente, muito forte. E quando essa imagem diz que as mulheres precisam ser excessivamente magras para estarem bonitas, felizes ou para serem modelos bem-sucedidas, é preocupante pra caramba. O legal é que outros países já discutem esse tipo de pauta e Israel, Espanha e Itália já adotaram leis e medidas parecidas com essa. Aeeeeeeee

 

No nosso país, até existe um projeto similar, criado pelo senador Gerson Camata (ES) em 2007. A PLS 691/07 diz que as empresas de eventos comerciais ou promocionais, os concursos, desfiles e as produtoras de peças publicitárias que desrespeitarem o índice mínimo de massa corporal (18,5) estarão sujeitos a multas de R$ 1 mil a R$ 5 milhões, valor que poderá ser aplicado em dobro em caso de reincidência. A punição é extensiva aos promotores de eventos e seus patrocinadores, às agências e recrutadores, além das empresas de comunicação. Ele foi aprovado em 2010 pelo Senado, mas desde então, aguarda audiência pública. Fuen fuen fueeeeen!

 

Enquanto isso, várias marcas e empresas de alto poder midiático continuam vendendo uma imagem com uma magreza patológica. Há uns bons anos, a Ralph Lauren usou fotografias manipuladas com mulheres absurdamente magras e, véi, na boa? Onde que tava bonito? Acorda pra vida! Se toca!

 

raupl

 

Stella McCartney também foi alvo de críticas ao postar uma foto em seu instagram. A ideia era divulgar a blusa, mas a chuva de críticas foi pela modelo mesmo!

 

modelojpg

 

 

De todo modo, conseguimos ver um movimento interessante de várias marcas, campanhas e até mesmo de políticos, buscando combater apologias à magreza excessiva e distúrbios alimentares. Quando vemos esse tipo de coisa acontecer, não posso deixar de considerar um retrocesso. O caso mais recente foi protagonizado pela Victoria´s Secret, famosa por suas “angels esculturais”. Em um comercial, a marca  cultua “o corpo perfeito”. Essa “perfeição” é ilustrada por modelos super magras, motivando uma onda de duras críticas. Até uma petição online foi criada, com mais de 16 mil assinaturas, pedindo para a Victoria´s Secret reconhecer o erro. Até agora, é só silêncio.

 

Image: This controversial ad camapaign sparked backlash on social media

 

 

Outra marca de lingerie, a Dear Kate, lançou uma campanha com mulheres com silhuetas, digamos, mais democráticas, em uma sátira direta à campanha acima:

 

dear

 

 

Ao menos, com tantas críticas e comentários que abominam esse tipo de ditadura estética, parece surgir uma luz no fim do túnel. Assim, esperamos que cada vez mais países procurem regularizar esse tipo de atividade, pois sim, é necessário e muito importante. Esse post reforça a posição do Diva sem Frescura em relação às imagens esqueléticas divulgadas pela moda nacional e internacional. Somos contra! Sabemos que as naturalmente magrinhas existem, e elas devem aparecer e ser respeitadas. Mas existem também todos os tipos de corpos, e eles têm todo o direito de se sentirem representados por aí.

ESCRITO POR

Olga Bon

DEIXE UM COMENTÁRIO

0

Doce hidratação – mistura com mel!

Como eu disse nos meus últimos posts sobre cuidados com os cachos, eu faço algumas misturinhas para tratar minhas madeixas. E, como promessa é dívida, estou aqui para falar com vocês de uma misturinha super boa!

 

 

Hidratação com mel

 

mel

 

 

Jenny, por que mel?

 

Bom, gente, como eu já comentei com vocês aqui, a hidratação serve para reposição hídrica dos fios e, para isso, é bom que nosso creme tenha vitaminas. O mel tem as vitaminas C e E, além de vários nutrientes que fazem bem para o nosso cabelo – e para nossa pele, aliás. Não deixem de adiciona-lo a sua dieta, vale a pena! – o que potencializa nossa hidratação.

 

 

mel

Meu precioso!

 

 

 

Esse mel eu comprei na farmácia mesmo, me pareceu bom. Mas se você preferir, procure outras marcas e outras lojas e veja qual é o da sua confiança.

 

Bom, vou mostrar pra vocês como que eu faço.

 

No meu potinho de mistura, eu coloco duas colheres de creme de hidratação. No meu caso, eu uso o creme Broto de Bambu da Novex (preço bom, resultado bom, tudo que eu preciso <3 ), mas claro que você pode usar o creme que quiser. Misturo com meia ampola de vitamina A – coloco vitamina A em todas as minhas misturas, para ajudar no crescimento – e uma colher cheia de mel. Faço como de costume: lavo com este xampu da Haskell que eu AMO, depois divido meu cabelo em áreas e vou passando e penteando mexa por mexa, para passar no cabelo todinho.

 

 

HIDRATACAO

 

 

 

Deixo agir por alguns minutinhos ( De 20 a 40 em dias em que tenho tempo. De 3 à 5 quando faço no banho).

 

Assim que eu tiro, já dá pra sentir a diferença. Uso meu condicionador normalmente e pronto.

 

Olhem, olhem!

 

ANTES

 

 

DEPOIS

 

 

Olhem o resultado depois de finalizado:

 

 

 

depois de tudo

 

 

 

Para esta última foto usei o creme para cabelos cacheados da SEDA, que, para minha total surpresa, funcionou perfeitamente bem para fazer a fitagem.

 

Espero que vocês testem em casa e fiquem tão satisfeitos quanto eu!

 

 

 

Não se reprima, comente!

 

 

 

 

 

ESCRITO POR

Jenny Santos

DEIXE UM COMENTÁRIO

0

Looks arrumadinhos, mas nem tanto

Sabe aqueles dias que você quer ir arrumadinha pra faculdade, mas não quer gastar suas roupas de sair e está sem ideias? O post de hoje é pra te dar uma inspiração e te ajudar a montar um look  pra esses momentos. Se tem uma coisa que eu não sou, essa coisa é: simples. Acho que estilo é uma coisa muito pessoal, mas pelo fato de eu ODIAR calça jeans e usar sempre legging ou vestido, algumas pessoas acabam me achando estilosa e arrumadinha, e as dicas que vou dar aqui são coisas que EU faço ok? Lembrando que ninguém é obrigada.com.br.

 

Primeiramente, acho que o que faz as pessoas verem em mim um look sempre diferente do normal, é mais simples do que parece:

 

all star

 

O all star de cano médio deixa um vestidinho medíocre com um TCHAN estiloso. Ou um look simples de legging e blusão fica mais OH!

 

tenis-casual-converse-ct328002-branco-001-3-1000x800

Esse all star de couro preto é algo que AMO demasiadamente. Aliás é raro me ver de rasteirinha (só quando tô de saião).

 

Agora que contei meu segredinho básico mais do que básico, vamos aos possíveis looks com coisas que a maioria das meninas tem:

 

 

Vestido/saia e tênis

 

Aqui no calor do Hell de Janeiro, é difícil alguma mulher que não tenha vestido ou saia. Aproveita, mostra essas pernocas e ao invés de uma rasteirinha, coloque um tênis:

 

vestido e all star

 

 

 

 

jaqueta

Esses dois primeiros looks não são simples, mas fica aí uma dica legal anyway

 

 

converse-all-star-com-saia

 

 

 

Jaquetas e Coletes

 

Se não estiver um calor infernal, tampe o braço de alguma forma que isso dá uma OUTRA cara pro look. Pode ser com qualquer coisa, mas meu jeito preferido de tampar braço é com jaqueta ou cardigã. Caso esteja um calor infernal, não tampe o braço, mas pode colocar um coletinho que vai ficar mais estiloso também:

 

 

colete

 

 

 

colete jeans

 

 

jaqueta, vedtido

 

 

 

jaqueta vestido e all star

 

 

Legging ou jeans com blusão 

 

Quando vou usar calça, seja ela jeans ou legging, o ideal pra mim é que a blusa seja largona e que tampe o popo. Fica muito mais chique, estiloso, ryca, etc. Como eu falei ali: AMO colocar com all star  (se for legging, prefiro o de cano médio), e se colocar jaqueta ou colete então, vai ficar tipo “oi to indo pro Coachella e já volto”

 

 

blusa-de-moletom-006

 

 

Podia ter colocado um all star, Miley... vacilo

Podia ter colocado um all star, Miley

 

 

blusa larga

 

 

 

legging de couro e blusão largo_thumb[1]

vamos combinar que essa botinha arrasou, tá ultra diva ryca phyna

 

 

Top de renda

 

Tudo bem que moda passa e etc, mas eu não me ligo em tendências, uso o que eu gosto e acho bonito. Esse é um look que eu acho lindo, mas não pra qualquer lugar. Faculdade é super de boa:

 

Como-Usar-Top-de-Renda-2

 

 

Short e blusão, jaqueta ou cardigã

 

Tão simples e tão estiloso:

 

blusao

 

 

blusao e tenis

 

 

 

look-camiseta-tenis-claudinha-stoco-1

amoblusaojeans.com.br

 

 

Saião e cinto

 

Esse look pode ser simples ou não, depende da saia e do cinto, mas é uma combinação que funciona e eu geralmente uso com rasteirinha.

 

look-dia-15-novembro-2012-leighton-meester35138

 

 

E aí, deu um help nas ideias ou nem? Espero que tenha ajudado, lembrando que são só DICAS, viu moças? Inspirem-se e se vistam como quiserem! Beijoca :*

 

ESCRITO POR

Luma Mattos

DEIXE UM COMENTÁRIO

2