Diva mas sem Frescura

Olha isso!

Aqui a gente vai compartilhar com vocês todos os nosso achados, dando dicas de precinhos baixos de produtos, viagens, livros, tudo que for interessante e que esteja ao alcance de divas da vida real. Sabe aquela base maravilhoooooooosa mas que custa o olho da cara? Fica tranquila que se a gente achar algo de boa qualidade que possa substituir, a gente também te conta nessa seção!

10 motivos para assistir RuPaul’s Drag Race

Graças ao bom Deus as drag queens estão em alta nos últimos tempos e temos visto até Pablo Vittar e Lorelay Fox arrasando no cenário nacional aparecendo na TV aberta. Já no cenário internacional, temos visto uma onda de Drags super famosas como Alaska, Chad Michaels, Latrice Royale, Sharon Needles e muitas outras, e tudo graças ao reality show RuPaul’s Drag Race.

 

Se você conhece, provavelmente ama, se não conhece, calma, eu explico: o reality é apresentado pela drag RuPaul, e funciona assim: 13 ou 14 participantes que já são drag queens, e elas passam por um mini desafio e um desafio principal toda semana. Após serem julgadas, as duas piores precisam fazer uma performance de dublagem e quem perder, volta pra casa. Os desafios envolvem múltiplos talentos: costurar, atuar, cantar, dublar, fazer piadas, dançar, fazer ensaios fotográficos e muitas outras coisas, cada um mais criativo que o outro.  E por que você deveria assistir? Vamos aos motivos:

 

1- Porque é muito engraçado

 

 

 

Drag queens são artistas, e a grande maioria delas leva a vida de forma muito bem humorada, sabendo relevar desentendimentos e brigas OU NÃO meu amô, e daí acabam criando altos barracos que depois de um tempo acabam sendo esquecidos ou se tornando motivo de piada. Elas falam alto, zombam umas das outras e inclusive de si mesmas. Além disso, as provas de atuação, teatro, stand up comedy ou musicais são riso garantido. Fora que sempre tem drags que são engraçadas só de respirar: Alaska, Alyssa Edwards, Shangela, Bob the Drag Queen, Bianca del Rio: o que não falta são comedy queens pra matar a gente de rir!

 

2- Porque explica o trabalho das Drags

 

RuPaul e as vencedoras das 7 primeiras temporadas

 

Kim Chi

 

Sharon Needles

 

Muita gente acha que ser drag é apenas ser homem e se vestir de mulher, mas não: as drags muitas vezes trabalham a parte estética sim, e podem criar personagens muito diferentes como Kim Chi, Sharon Needles e Sasha Velour, mas além de roupa e maquiagem, elas dublam, atuam, dançam, costuram, fazem Stand Up comedy, desfilam e até cantam se for preciso! Assistir o programa mostra como as drags são talentosas e merecem reconhecimento pelo trabalho que fazem.

 

3- Porque ajuda a eliminar preconceitos

 

 

Várias vezes meu marido assistiu junto comigo e no começo ele reclamava, dizendo: “não acredito que você ta assistindo isso”, depois de alguns episódios ele começou a dizer “caramba que legal” até que na última temporada ele acompanhou tudo comigo. Hoje em dia, ele declara sua admiração por esse trabalho incrível das drags e derrubou todos os preconceitos que ele tinha, e isso é algo muito legal de se ver. A gente acaba sentindo que está entrando no mundo das drags – e adorando isso!

 

4- Porque tem gírias maravilhosas

 

 

Sasha away? Charisma, uniqueness, nerve and talent? Jogar um shade? Aguentar a T? Untuck? Pra saber o que é isso tudo, só acompanhando a série. Queria muito que todo mundo assistisse pra eu poder usar o vocabulário RuPauliano na minha vida todos os dias e ser compreendida. Amo! Vamos combinar que seja em inglês ou em português, as melhores gírias saem do meio LGBT, né non?

 

5- Porque tem música boa

 

Naomi Smalls

 

RuPaul, uma das drags mais famosas do mundo, é cantor e toda temporada tem uma música dele sendo lançada. Sou suspeita pra falar porque tenho todas no meu Spotify, inclusive faço performances no banho e até no meio da rua se começar a tocar kkkk.

 

6- Porque sempre tem convidados legais

 

 

Latoya Jackson, Khloé Kardashian, e na nona temporada, ninguém menos que LADY GAGA! Toda temporada tem convidados super legais que muitas vezes nem são famosos aqui no Brasil, mas que dão um toque legal ao programa e também dicas profissionais para as drags, pois muitas vezes diretores, atrizes, cantores, coreógrafos e fotógrafos participam como convidados e jurados.

 

 7- Porque causa empatia

 

Carmen Carrera se declarou mulher trans após o programa

 

Entre um desafio e outro, as drags saem um pouco de seus personagens e acabam desabafando sobre suas vidas: como foi a infância e adolescência sendo gay, as dificuldades que passaram na escola e no meio familiar, o início da carreira drag e como foi a reação das pessoas, e contam um pouco sobre a vida delas. Duas drags inclusive revelaram durante o programa que eram mulheres trans, e foi super emocionante. Toda essa abertura emocional causa muita empatia porque nós, que não passamos pelas mesmas coisas, vemos o quanto é difícil não ser o que a sociedade espera e nos tornamos mais compreensivos e solidários com a comunidade LGBT.

 

8- Porque quebra estereótipos de gênero

 

 

 

Várias temporadas tiveram um desafio principal em que as drags deveriam transformar um homem hétero e todo machão em drag também, e os resultados são incríveis! Ao contrário do que os hetero topzera podem pensar, é preciso ser muito homem pra se vestir de mulher, andar de salto, se maquiar e usar peruca! Um convidado estava com tanto medo das zoações que sofreria por seus colegas de time (ele era jogador de basquete), que começou a vomitar depois de desfilar como drag. Em uma das temporadas, agora não me lembro qual, a equipe de filmagem de RuPaul participou e vários ali são casados e tem filhos. Nenhum deles teve vergonha e inclusive deram lindas declarações de como filmar o programa mudou a visão deles sobre as drags, e como eles as admiravam por tudo.

 

9- Porque tem divas drag

 

 

Derick Barry é cover de Britney em L.A.

 

Lil Kenya Michaels

 

Valentina

 

Tyra Sanchez

 

Farrah Moan

 

Beyoncé, Rihanna, J. Lo? Pode esquecer as divas pop! Temos várias drags maravilhosamente divas que deixam a gente com inveja e com vontade de ser drag também. Tem várias pra se admirar a beleza: Tyra Sanchez, Lil Kenya Michaels, Farrah Moan, Trinity Taylor, Kimora Black, Peppermint, Gia Gunn e  muitas outras que com certeza estou esquecendo agora…

 

10- Porque os looks da RuPaul são maravilhosos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eu simplesmente quero ser a RuPaul. gente, que drag maravilhosa! Inclusive vou falar pra vocês que tô planejando meu aniversário de 30 anos (daqui a 3 anos kkkk) e quero festa temática do programa, em que logicamente entrarei vestida de RuPaul tocando Cover  girl ao fundo. Obrigada de nada.

 

E aí, gostou? Se quiser assistir comenta com a gente depois!! Vamos fofocar sobre tudooo!!

ESCRITO POR

Luma Mattos

DEIXE UM COMENTÁRIO

0

A força das mulheres de Game of Thrones

Diferentemente da nossa série “homens que não gostamos”, nos pediram pra fazer post sobre personagens de Game of Thrones e a primeira coisa que me ocorreu foi falar sobre as mulheres. Elas são todas fortes, inteligentes, não ficam sofrendo por macho como na grande maioria das séries, filmes e novelas, e tem planos grandiosos como conquistar os sete reinos ou matar todos os inimigos para vingar a morte da sua família. É possível admirar algo em todas, é incrível. Vamos à elas:
 

Missandei

 

 

Missandei até o momento é uma grande aliada de Daenerys e se não fosse por ela, a loirinha provavelmente não teria conseguido juntar seu exército de imaculados. Inteligente e séria, acredito que Missandei ainda vai surpreender por causa da carinha de boazinha. Se fosse tão boazinha assim, não ajudaria a amiga nas mais diversas guerras e adversidades que acabam por matar várias pessoas. Apesar disso, é uma personagem do bem (até o momento pelo menos, porque em GoT nunca se sabe né…)

 

Melisandre

 

 

É verdade que ela é detestável? É. Que é cruel e sem coração? É. Que é uma louca fanática religiosa e bruxa no pior sentido da palavra? É. Mas, Melisandre é uma mulher extremamente esperta, não se  deixa levar por paixonites e está sempre se safando do pior graças à sua esperteza. Não é por isso que não estamos esperando ansiosamente pela hora em que ela vai se ferrar.

 

Daenerys

 

(AP Photo/HBO, Keith Bernstein)

 

Pra não gostar da Daenerys tem que se esforçar bastante. Maltratada pelo irmão babaca, Daenerys poderia ter ficado naquele sofrimento eterno quando foi forçada a se casar com  Khal Drogo, mas preferiu ser forte, seduzir o bofe e se tornar a Khaleesi do povo dele. Foi uma decisão realmente inteligente, pois ao invés de posar de vítima e ficar chorando as pitangas, Daeny foi à luta e resolveu tentar de tudo pra conquistar os sete reinos. A jornada dela é uma grande lição sobre autoconfiança, sobre acreditar em si mesma e não ficar dando moral pra macho. Sendo solteira, chove ome atrás dela, mas ela nunca fez deles mais do que uma possibilidade de saciar seus desejos sexuais. Muito esperta mesmo amiga, porque macho só dá problema e quer ficar cantando de galo.

 

Arya

 

 

Ela é outra difícil de não gostar. Tem que se esforçar bastante pra não achar ela uma garotinha incrível. Desde petiquinha já rejeitava o papel imposto ao gênero feminino e se recusou desde sempre a ser a mocinha indefesa que se casa e passa a vida agradando o marido, por isso vivia fugindo para aprender técnicas de luta e com isso acabou se virando. Sobreviveu ao pão que o diabo amassou, perdeu sua família, sua loba, seu aliado, foi espancada até dizer chega, e nem por isso ficou chorando as pitangas ou desistiu de viver, muito pelo contrário. Cada vez mais Arya está determinada a matar todo mundo que fez da vida dela um inferno, e ela tá mais do que certa mesmo. Vai que é tua, menina Arya!

 

Sansa

 

 

Nunca que eu imaginei fazer post e falar bem da Sansa. Ela foi muito trouxa por um bom tempo, muito aquele tipinho frágil que sofre na mão de homem (no caso dela nem foi por amá-los, coitada, foi por eles não deixarem ela em paz mesmo). Depois de se casar mais do que a Gretchen e nunca por opção própria, Sansa foi ficando cada vez mais espertinha e após sofrer tanto, se vingou deliciosamente da peste do Ramsay e desde então parece que a garota acordou pra vida! Sansa percebeu todo o seu potencial e deu uma guinada na sua história de menina injustiçada e sofrida, correndo atrás do que lhe pertencia e também buscando uma vingancinha, porque vamos combinar que é muito bom né? (pelo texto vocês já podem perceber que eu tenho sangue nos olhos né? kkk)

 

Cersei 

 

 

Vocês podem até estranhar, mas de todas ela é minha preferida. Cersei parece uma louca sem noção que teve 3 filhos do próprio irmão (arg), mas em seus raros momentos de fragilidade, Cersei mostra que no fundo é uma mulher que está e sempre esteve disposta a fazer de tudo pelo bem da família. Ela sempre quis o melhor para seus filhos e por isso a manutenção do poder de sua família era tão importante. Por erros em seus julgamentos e alianças, e também por criar filhos visando que eles fossem megalomaníacos, acabou perdendo tudo o que mais amava, e isso ensinou a ela uma grande lição. Maaaaaaaas, não é por isso que ela vai ficar chorando pitangas e ficar de luto eterno, né? Cersei é provavelmente a mulher mais forte de todas, manipuladora, estrategista, calculista e não deixa que nada a abale a ponto de perder a razão de viver. Ela nos dá uma grande lição sobre manter o foco e não enlouquecer apesar das circunstâncias, por piores que elas sejam, e muito menos desistir.

 

O que mais gosto na série é que os personagens são muito reais no sentido de que todos eles tem qualidades e defeitos, pontos bons e ruins. Todos tem a capacidade de mentir, de amar, de se vingar e de buscar seus objetivos, e o que diferencia as mulheres da série é que todas tem um papel crucial e um protagonismo indiscutível. Apesar de precisar dos homens para realizarem alianças que possibilitarão a conquista dos seus objetivos, elas não se subjugam a eles e nem deixam que eles as confundam. Todas elas quebram esse padrão novelístico e televisivo de mulher frágil, e não vou negar: amamos isso!

 

E você, quais as suas personagens preferidas? Conta pra gente!

ESCRITO POR

Luma Mattos

DEIXE UM COMENTÁRIO

0

Conte sua história pra gente!

 

Pra vocês que sempre nos pedem conselho por comentário: essa é sua chance de ter o conselho de 8 amigas muito sensatas que somos nós, escritoras deste blog, no caso. Quer nossa ajuda? Gostaria de saber o que a gente pensa do seu problema? Pode contar com a gente! Mande um e-mail para contato@divasemfrescura.com contando sua história e nós iremos selecionar algumas para postar aqui com nossos conselhos!!!

ESCRITO POR

Divas

DEIXE UM COMENTÁRIO

0

O método de organização de Marie Kondo na pratica

Um tempinho atrás li o “A Mágica da Arrumação”, de Marie Kondo. Sou uma virginiana com ascendente em virgem muito desorganizada (pra vocês verem como esse negócio de horóscopo não é confiável) e supus que esse livro poderia me ajudar. O formato da obra não me agradou muito, achei a abordagem um tanto auto-ajuda e a autora é bem machista ao afirmar que vontade de arrumar é algo essencialmente feminino (VERGONHA ALHEIA HEIM MINHA AMIGA).
 
Mas, apesar dos pesares, ela dá algumas dicas legais que compartilharei com vocês.


1- Fazer uma avaliação REALMENTE HONESTA do que você PRECISA

O tempo todo somos bombardeados por propagandas e estímulos para consumir. Isso faz com que ocasionalmente a gente compre por impulso coisas totalmente inúteis, que vão se acumulando e tomam espaços nos ambientes da casa. Sempre tem aquele sapato desconfortável que você sabe que não vai mais usar mas deixa na sapateira ocupando espaço. Pra quê? Por quê? O mesmo com roupas: calça jeans, por exemplo, é uma peça que a gente tende a usar sempre as mesmas, que provavelmente são as que vestem melhor, e simplesmente ignoramos as outras que figuram em nosso guarda-roupa. Pra quê mantê-las ali? Esse primeiro passo de desapegar do que você não gosta ou precisa já faz uma enorme diferença e é a chave para o método de organização proposto funcionar e se sustentar a longo prazo.
 
2- Manter APENAS peças que lhe tragam felicidade

Essa parte é meio difícil e subjetiva demais, mas vamos lá! Marie Kondo sugere que no processo de se livrar do excesso de coisas você deve segurar o objeto ou peça de roupa e se perguntar: ESSA COISA ME TRAZ FELICIDADE? Soa meio ridículo, né!? Mas a essência da ideia é bacana: se você mantem por perto apenas objetos que lhe geram alguma satisfação, a tendencia é que seus espaços se tornem mais acolhedores e mais “a sua cara”. Além disso, fazer esse tipo de avaliação em relação a objetos e roupas faz com que a gente consiga identificar e pensar nossas preferências e senso estético, para aprimorar nossas futuras aquisições e evitar compras aleatórias, totalmente sem critério.

3- Organize por CATEGORIAS ao invés de CÔMODOS.

A maioria das pessoas dividem a arrumação por partes da casa: primeiro o quarto, depois sala, cozinha e assim sucessivamente. Para a autora essa opção não é a mais eficaz. Para ela, o ideal é criar categorias, como: impressos (revistas, apostilas, cadernos) e cosméticos (maquiagens, cremes, perfumes, pincéis) para em seguida avaliar e organizar tais categorias, independente desses objetos que a englobam estarem no mesmo cômodo. No caso dos cosméticos, por exemplo, uma parte costuma ficar no quarto e a outra parte no banheiro. A autora sugere que juntar os objetos dessa categoria e analisar o que fica e o que sai é mais eficaz que organizar os cosméticos do quarto quando arrumar o quarto e os do banheiro quando chegar a esse cômodo. O mesmo com todas as outras categorias possíveis.
 
4- Colocar em prática o “tirou, devolve”

Essa é simples e certamente você ouve isso de sua mãe desde a infância, quando tirava os brinquedos do lugar. Claro que por vezes estamos com muita pressa e simplesmente não dá pra devolver o que acabamos de usar para o lugar de origem. Acontece. Mas é preciso tentar tornar esse hábito uma exceção e ter o cuidado de devolver para o respectivo lugar tudo aquilo que você utilizar durante o dia. Além de garantir que o ambiente se manterá organizado, isso faz com que tenhamos maior consciência dos locais que os objetos ocupam, tornando mais raras as vezes em que nos questionamos: “onde será que enfiei aquele negócio, hein!?”

Marie Kondo também trabalha com consultoria e no livro expõe relatos de clientes que viviam no mais completo caos. Entre um e outro caso a autora também dá pequenas sugestões práticas, como por exemplo a de que a melhor forma de guardar bolsas é acomodar as menores dentro das maiores e que o jeito correto de guardar meias é as dobrando normalmente e NUNCA, JAMAIS, EM TEMPO ALGUM, fazendo aquelas belas bolinhas na qual um par da meia se acomoda dentro do outro. Mas olha, infelizmente essa última dica não vai dar pra seguir. Foi mal Kondo, não dá pra abrir mão dessa prática quase milenar de não misturar os pares de meia.
 
Mas o resto a gente repensa!

ESCRITO POR

Daniele Fabre

DEIXE UM COMENTÁRIO

0

Faça você mesma: desodorante caseiro

 

Hoje eu vim aqui compartilhar uma receita que venho usando há mais de 6 meses e só tenho elogios: desodorante caseiro. O que me motivou a fazer desodorante em casa foram os seguintes motivos:

 

– A maioria dos desodorantes industrializados têm muitos componentes químicos que fazem mal à nossa saúde. Desde fixadores de cheiros sintéticos que podem causar irritação na pele até o alumínio, que pode ser nocivo se usado a longo prazo, pois obstrui nossos poros. O objetivo do alumínio é evitar o suor, mas acontece que os poros param de respirar e o efeito pode ser o contrário: aumento de mau cheiro, o que leva ao uso cada vez mais constante do produto, em um ciclo vicioso.

 

– Algumas pesquisas mostraram que o uso frequente de desodorantes industriais pode causar câncer de mama, pois as substâncias químicas são depositadas diariamente na região ao redor das axilas e lá ficam até serem absorvidas pelo nosso organismo.

 

– Alguns desodorantes de aerosol (que eram os que eu usava) ainda são nocivos ao meio ambiente por causa do gás que liberam!

 

– Preço! O preços dos desodorantes são bem salgadinhos se levarmos em conta a quantidade e a frequência que precisamos comprar.

 

Juntei todos esses motivos e fui atrás de uma receita de desodorante caseiro para chamar de minha. E eu achei! Posso dizer que foi uma das melhores coisas que descobri! Quando eu fui testar pela primeira vez, eu fiquei em casa, pois estava com medo de não funcionar e eu começar a feder no meio da rua kkkkkk mas surpreendentemente deu muito certo! Funciona melhor do que o desodorante industrial pra mim. Não fico com NENHUM cheiro. Eu preferi fazer uma receita pastosa, tipo um creme, mas que não fica melequento. Vamos lá:

 

– 1/3 xícara de amido de milho

– 1/3 xícara de bicarbonato de sódio

– 3 colheres rasas de sopa de óleo de coco

 

Misture tudo até ficar uma pasta espessa. Qualquer coisa, coloque mais ingredientes de forma proporcional até formar uma pastinha. Você pode colocar umas gotas de algum óleo essencial da sua escolha, tipo lavanda, para dar um cheirinho. A primeira vez que eu fiz, eu coloquei. A segunda vez, eu não coloquei. O óleo de coco já dá um cheirinho bem de leve e pra mim que uso perfume prefiro um desodorante de cheiro mais neutro. Você também pode fazer mais do que essa quantidade aí de cima, desde que vá aumentando tudo proporcionalmente. Acabou de misturar? Então coloque a pasta num pote de vidro com tampa e deixe na geladeira por 40 minutos. Depois é só tirar e colocar na sua estante do dia a dia. Quando for aplicar, coloque uma camada fina nas axilas. Não precisa colocar muito, até porque vai ser uma sensação desagradável aquela camada grossa de pasta no sovaco. Eu indico fazer como eu fiz: testar em casa antes de usar na rua, para evitar a catinga pública. No mais, eu estou economizando surrealmente com desodorante. Praticamente cortei esse item das minhas despesas. E essa receita dura muitooooo. Sinceramente? Só vejo vantagem! <3   E ai? Ficaram curiosas para testar?            

ESCRITO POR

Olga Bon

DEIXE UM COMENTÁRIO

0